Escolas de samba abrem concurso do Carnaval 2020 na Passarela Chico Coimbro

Comentários 0

A escolas de samba no Maranhão surgiram quase concomitantemente às do Rio de Janeiro. Modestas, essas agremiações são por décadas as atrações principais da Passarela Chico Coimbra, instalada no Anel Viário  na área do Papódromo, onde pisou o papa João Paulo II,  à margem do rio Bacanga que se junta com o Anil formando uma paisagem ímpar de São Luís. Ao fundo a Baia de São Marcos. É um local de confluências como a história do carnaval de São Luís e do país, um traço cultural da miscigenação que aqui se concretiza principalmente nas festas.

Desde os anos 30 do século passado que o desfile das agremiações de Carnaval acontece na ilha. Antes de escolas eram corsos, batucadas, turmas e blocos. Balizas, passistas, porta bandeiras e mestre salas esboçavam o que mais tarde seriam as escolas de samba propriamente ditas, com suas comissões de frente, alas, carros alegóricos, tripés e brincantes em geral.

Escola de samba no Maranhão tem tradição histórica. Atualmente, existem 10 escolas em plena atividade na grande ilha de São Luís. Todas participam do desfile oficial organizado pela prefeitura de São Luís desde os primeiros passos do certame, em 1974. 

Na linha da história, a Turma da Mangueira é a primeira escola da ilha de São Luís a  ser reconhecida como tal em 1928, seguida da Flor do Samba, Turma do Quinto e as demais que surgiram e desapareceram na linha do tempo. As mais moças são Terrestres do Samba, Mocidade da Ilha e Unidos de Ribamar que este ano estará fora da Passarela Chico Coimbra.

Favela do Samba e Turma do Quinto disputam o ranking de escolas de samba ludovicenses com maior número de títulos de campeã.

PROGRAMAÇÃO DA PASSARELA DO SAMBA

DIA 23/02 – DOMINGO

A partir das 18 horas, na Tenda do Tambor:

Tambor de Crioula Mocidade Independente (Mestre Nivô)

Tambor de Crioula Oriente

Tambor de Crioula Pai Velho

Desfile dos Blocos Organizados

19h00 às 19h15 – Unidos do Porto Grande

19h20 às 19h35 – Cobras das Estrelas

19h40 às 19h55 – Beatos do Samba

20h00 às 20h15 – Os Liberais

20h20 às 20h35 – Unidos da Vila Isabel

20h40 às 20h50 – Alegoria de Rua Corso da Melhor Idade da Madre Deus

20h55 às 21h05 – Alegoria de Rua Tijupá

 

Desfile das Turmas de Samba

21h10 às 21h25 – Ritmistas da Madre Deus

21h30 às 21h45 – Fuzileiros da Fuzarca

 

Desfile das Escolas de Samba

22h00 às 23h00 – Unidos de Fátima

23h10 às 00h10 – Mocidade Independente da Ilha

00h20 às 01h20 – Turma do Quinto

01h30 às 02h30 – Turma de Mangueira

02h40 às 03h40 – Favela do Samba

SAIBA TUDO SOBRE AS ESCOLAS QUE DESFILAM NESTE DOMINGO NA PASSARELA

Fundação: 7 de setembro de 1957

Sede: Rua Projetada (48), s/n  Areinha

Presidente: Ribão D´Oludô

Linha do tempo: A escola nasceu com o nome de Em Cima da Hora. Depois passou a ser chamada Correio do Samba já que o barracão estava localizado ao lado da agência do Correios no Bairro de Fátima. A partir dos anos 1980 passou a ser denominada Unidos de Fátima, depois de uma fracassada tentativa de unificar as agremiações existentes no bairro. Este ano a escola homenageia Pai Airton que há 50 anos desenvolve atividades religiosas de matriz africana no bairro da Liberdade.

Ficha Técnica

Carnavalesco: Júnior Azevedo

Cores: Azul, branco e amarelo

Bateria: Explosão, do Mestre Dudu Falcão e Preguinho mestres Gugu, Goteira e Gute

Rainha da bateria: Regina Explosão

Mestre Sala: Eduardo Luz

Porta Bandeira: Ilana Gouveia

Enredo: Vila do Anil Espaço Sagrado, onde todo coração é ungido

Compositores: Ribão Doludo, Jeovah França e José Raimundo Gonçalves

Puxadores: Ribão D´Oludô, Nilde (ex Porta Bandeira da escola), Antonio de Paula, Miguelzinho, Pantera e Nestor.

Samba-enredo

Saudade ô saudade

Daqueles tempos que não voltam mais

A vila famosa era só alegria

Meu Deus é tudo que eu queria

Oh se liga na história

Ria Anil aplauso que o progresso chegou

Pelas mãos humildes do trabalhador

Tecendo sonhos, esperança e amor

Celeiro de craques

Que o futebol consagrou

Ô ô ô água para o céu voou

Ave Maria Nossa Senhora da Conceição

Na quermesse é só alegria

Valei-me São Sebastião

 Venha minha namorada

Eu quero te encontrar aqui

Domingo sem você não vale nada

Na vesperal do Cine Anil e Rivoli

 Ideal é o sabor tradicional

Do bumba boi que faz toada

Pra guarnicê a lua

E povo com o carnaval de rua

Poeta vai buscar poesia

Com Sofia, a deusa da sabedoria

Vamos bota fogo na folia

Com a nossa gloriosa bateria

 Mocidade Independente da Ilha

(Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Independente da Ilha)

Fundação: 13 de fevereiro de 1986

Sede: Cohab

Presidente: Josafá

Linha do tempo: No primeiro ano que desfilou no concurso de escolas de samba da Passarela do Samba, no Anel Viário, em 1987, a escola conquistou o título de campeã.

 Ficha técnica

Carnavalesco: Josafá

Cores: Azul e Branco

Bateria:

Mestre Sala:Porta Bandeira:

Enredo: “Nas garras da águia, a Mocidade sobrevoa a cidade do pecado”

Compositores: Renato Dionísio e Nonato Silva

Puxadores:

Samba-Enredo

Nas asas da encantaria fui parar no além-mar

No Mojave conheci a cidade do pecado

No Moulin Rouge oro preparei para jogar

Um jogo de sedução que por mim já foi jogado.

 

No neon das cores do desfile

Yes, nossa águia entre vocês

Oxente, um Paraíba aqui chegou

Mesmo sem saber falar inglês.

Las Vegas é show, talvez nem seja real

Hoje é pedra perdida de um jogo qualquer

É durma de orgias sonhos e promessas

É musa da Strip com um coração de mulher.

 

Entrar na intimidade desta minha mocidade

Andar por teus hotéis e cassinos me vestir de emoção

Atenção que um novo mister Bugsi vem aí

No Excalibur oro noite de orgia eu vou ganhar teu coração.

 Tem carteado tem roleta e bacará

Onde alguns perdem mais outros podem ganhar

Meu carnaval que viajou só para mostrar

Que a máfia mora em qualquer lugar.

Turma do Quinto

(Sociedade Recreativa e Cultural Escola de Samba Turma do Quinto)

Fundação: 25 de dezembro de 1940

Sede: Madre Deus. São Luís

Presidente: Lílio Guega

Linha do tempo: Em 1940 nasceu de uma aposta o bloco Turma do Quinto da iniciativa de jovens da Madre Deus e de dona Neide Carvalho. O nome da escola é uma alusão ao 5º Batalhão Naval, sediado na capital maranhense.  Em 1981 nascia a Sociedade Recreativa e Cultural Escola de Samba Turma do Quinto. Sua história carrega muitos nomes. Foi campeão do Carnaval em São Luís por nove anos consecutivos. Este ano desfila com 3 mil integrantes.

Ficha Técnica

Carnavalesco: Tácito Borralho

Cores: Azul e branco

Bateria: Explosão, mestre Leleco

Rainha da Bateria: Girlene de Sá

Mestre Sala: Andrey

Porta Bandeira: Euricelia

Enredo: Bacabal de azul e branco canta seu centenário de histórias e glórias

Compositores: Manoel Henrique, Carlos Boni e Ceceu Mix

Puxadores: Céceu Mix, Raul Silva, Mikael Prata, Hugo e Emanuele

Samba–enredo: Gira baiana, hoje vai ter terecô. O meu amor explode no carnaval. A cor do manto é azul e branco. Sou Turma do Quinto e Bacabal

Sou filho da princesa que ama esse chão

A fé do ‘coroné’ ainda está de pé

Ó! Conceição!

Proteja os filhos teus, seu povo nordestino

Do sítio dos Abreus, brotou esse caminho

Nos campos, bacaba, guerreiro timbira

A estrada meu rio, o sol dessa vida

Vi nas margens nascer produção

Essa terra reluz…Maranhão!

Santa Terezinha das rosas vermelhas

Ô finada minha Edite, tira logo essa dor

Toca o tambor de Pai Gerson

No balaio guarimã

O índio, a iara cortejou

Bandeira de aço encanta os ouvidos

Conselhos do padre me fazem os sentidos

No voo do meu João

Paraíba é sucesso e tradição

Guarnece, meu boi, guarnece!

Está aí, o Leão é campeão

 Gira baiana, hoje vai ter terecô

O meu amor explode no carnaval

A cor do manto é ‘azul e branco’

Sou Turma do Quinto e Bacabal

 

Turma de Mangueira

(Associação Recreativa, Beneficente, Cultural e Escola de Samba Turma de Mangueira)

Fundação: 25 de dezembro de 1928

Sede: João Paulo. São Luís

Presidente: Itamilson Lima

Linha do tempo:  É a escola de samba mais antiga do Norte e Nordeste, formada a partir do bloco Paulistano, no bairro do João Paulo. Em seus enredos a escola verde e rosa do Maranhão já levou para avenida um tributo ao Movimento dos Sem Terra, aos grafiteiros e a personalidades da cultura maranhenses como a musicista Dilú Melo.

Ficha Técnica

Carnavalesco: Itamilson Lima

Cores: Verde e rosa

Bateria: Majestosa, meste Haybe

Mestre Sala:

Porta Bandeira: Tainá Melônio

Samba-Enredo: “”

Compositores: Bruno Costa e André Freitas

Puxadores: Cleber Costa, Bruno Costa, Edinho Sales, Franklin Rubem, Dinho Berg, Hugo Ferreira, Gisela Padilha, Nelissa e Tânia Torres

Samba-enredo

 A bela inspiração vai revelar

a história de quem nunca se calou

Seus versos hoje vêm nos ensinar

Com a proteção do reio xangô (eô)

 Pioneira, mulher, corajosa

de São Luís, a linda rosa

de Guimarães, floresceu

Contou o que o negro sofreu

Viu a escrava injustiça terminar

Entoou cantor à beira mar

Liberdade! alforria!

Suas palavras têm magia

Vem meu povo festejar

Majestosa cadência no ar

 África, mãe de todos nós

Onde ecoa a voz da sabedoria

Palco de paixões e despedidas

Úrsula tem Suzana e outras vidas

A esperança, o porão não sufocou

E o mar levou embora meu amor

 Maria…sua batalha continua

Firmina…a igualdade é o ideal

Nesta avenida à luz da lua

A ‘academia” vai brincar o carnaval

Do erudito ao popular

Viemos te agradecer

E aplaudir você!

 No batuque do tambor

Chegou Mangueira

Verde e rosa, meu amor, é a primeira

Maria Firmina, eterna rainha

Brasileira!

 Favela do Samba

(Sociedade Recreativa Favela do Samba)

Fundação: 26 de outubro de 1950

Sede: Sacavém. São Luís

Presidente: João Moraes

Linha do tempo: Um grupo de jovens liderados por José Ribamar Messias e Euzébio juntou-se na rua da Coragem no bairro do Sacavém na década de 50 para fundar uma escola de samba.  No primeiro desfile, em 1951, as cores eram branco e preto. A partir da década de 60 passou a ser azul, amarelo e branco. A escola possui dezessete troféus de campeã, alguns destes divididos com outra escola.

Ficha Técnica

Carnavalesco: Pedro Padilha

Cores: Azul, amarelo e branco

Bateria: Carcará, do mestre Júlio

Mestre Sala:

Porta Bandeira:

Enredo: “Uma trilha…um caminho…uma estrada…uma metamorfose urbana: a rua Grande é nossa!”

Compositores:

Samba-Enredo

 Voa, voa, carcará

A rua Grande é teu nível é teu chão

Favela ô Favela

Meu amor, minha paixão

 Conta a lenda que virou história

Que ao som dos tambores e ritmos

brotou uma veia de vida

Uma trilha sinuosa feito uma serpente

Rasgava atrás de rio correntes

 Nessa cidade um dia francesa

De tanta nobreza

Onde o branco e o índio dominou

E então a metamorfose se viu

E assim um caminho grande surgiu

A estrada real para o comércio se fez

De rua larga também se chamou.

 Passo a passo avançou

Do largo para o interior

De corpo e alma a ilha se ligou

Em Oswaldo Cruz e grande se consagrou


E magia, a alegria invade os corações

vidas cenários da memória

O cintilar das emoções

A rua Grande é nossa poesia

Lindo, o teu chão de pedrarias

Carruagens e bondes de outrora

Saudade, lembranças já foram

Daquela épocas das igrejas e moradas,

passeios e cinemas

Entre vitrines e folias

Existe a luta pelo pão de cada dia

É festa em seu comércio geral

E hoje ela é enredo do meu carnaval

Os comentários estão desativados.